Utilização da água para fins não agrícolas preocupa PCP

.

O PCP alerta que as infraestruturas do Aproveitamento Hidroagrícola do Alvor, construídas há mais de 60 anos, encontram-se “muito degradadas” e necessitam de “uma profunda reabilitação”. Segundo os comunistas, a esta situação acresce ainda “a necessidade de redefinir o perímetro de rega, incluindo novos terrenos com aptidão agrícola e excluindo outros sem essa aptidão”.

Este aproveitamento hidroagrícola situa-se nas freguesias de Bensafrim, Odiáxere (concelho de Lagos), Alvor e Mexilhoeira Grande (concelho de Portimão), abrangendo 957 beneficiários e uma área de 1.713 hectares.

O PCP salienta que a área regada representa uma pequena fração da área total do Aproveitamento Hidroagrícola do Alvor (688 hectares em 2017), sendo que uma parte significativa é relativa ao golfe (207 hectares em 2017) e a jardins (4 hectares em 2017), ou seja, a atividades não agrícolas. Isto significa que “menos de 30% dos 1.713 hectares estão a ser regados para fins agrícolas”, lamentam os deputados comunistas.

Entre as principais culturas regadas em 2017 destacam-se os citrinos (104 hectares), as hortícolas (71 hectares) e a vinha (45 hectares).

“É uma evidência que o Aproveitamento Hidroagrícola do Alvor está subaproveitado para a produção agrícola, sendo necessário a adoção de medidas, por parte do Governo, que potenciem a sua utilização plena”, reivindica o PCP.

JA

You must be logged in to post a comment Login