Desportos Náuticos: ANG lidera candidatura à criação da Estação Náutica do Baixo Guadiana

.

A apresentação da candidatura para criação e certificação da Estação Náutica do Baixo Guadiana, no âmbito da rede de Estações Náuticas de Portugal, decorreu na última semana em Vila Real de Santo António, na sede da Associação Naval do Guadiana (ANG), que lidera a candidatura enquanto entidade coordenadora.

As Estações Náuticas são uma rede de oferta turística náutica de qualidade, organizada a partir da valorização integrada de recursos náuticos presentes num território e da sua promoção, já bastante difundias em Itália, França e Espanha e que, tal como já acontece com as estações de esqui, estabelecem à volta de uma atividade um conjunto de oferta turística diversificada, incluído alojamento, restauração, eventos culturais, divertimento noturno, entre outras.

A sessão de apresentação contou com a presença das 25 entidades parceiras que vão subscrever inicialmente a candidatura, como membros do conselho náutico, entre as quais os municípios de Vila Real de Santo António, Castro Marim e Alcoutim, as federações portuguesas de motonáutica, canoagem e vela, bem como Capitania do Porto de Vila Real de Santo António, Escola de Hotelaria e Turismo de Vila Real de Santo António, Associação Odiana, Associação Terras do Baixo Guadiana, Patronato Municipal de Deportes de Ayamonte, Agrupamento de Escolas de Vila Real de Santo António, Nautiber, Isla Canela SA, Laranja Tours, Mogal SA, Boat4you, entre outras.

A presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, confirmou o apoio da autarquia à estrutura a criar, reforçando a ”necessidade de promover setores específicos de turismo, como forma de consolidação da economia da região e de criar emprego durante todo o ano”.

Por seu turno, o diretor da ANG, David Vasques da Silva, que será o coordenador da futura estação, identificou o objetivo geral de “transformar um destino tradicionalmente de sol e praia, com orientação para as atividades náuticas, num produto integrado acompanhado por uma oferta de alojamentos, gastronomia, diversão, cultura e desporto, otimizando os recursos naturais e humanos, assim como as infraestruturas existentes”.

Para o presidente da ANG, Luís Madeira, esta iniciativa “poderá criar uma nova dinâmica turística regional centrada nos recursos náuticos do rio Guadiana, da baia de Monte Gordo, do levante algarvio e da zona poente da Costa de la Luz (Huelva, Espanha)”, fridando que este será o território abrangido pela nova estação.

Terminada a fase da candidatura, vai iniciar-se uma fase de contactos com entidades e empresas do território abrangido, com vista a participação alargada na entidade protocolada, que se espera tenha luz verde para a constituição formal antes do fim do verão.

A rede de Estações Náuticas de Portugal está a ser lavado a cabo pela Fórum Oceano – Associação para o Desenvolvimento do Cluster do Mar, uma associação privada, sem fins lucrativos, de utilidade pública, que reúne mais de 120 associados de diferentes setores da economia do mar e que está mandatada pelo Governo para o desenvolvimento do ‘cluster’ do mar no nosso país.

Como membro da FEDETON – European Federation of Nautical Tourism Destinations, entidade gestora da rede internacional de estações náuticas, a Fórum Oceano, entidade certificadora nacional, participou nesta apresentação através de António José Correia, ex-presidente da Câmara Municipal de Peniche, que ficou notabilizado por ter levado o Circuito Mundial de Surf para a Região Oeste.

You must be logged in to post a comment Login