Monchique aprende a agir numa situação de catástrofe

Vários especialistas e agentes da proteção civil vão deslocar-se amanhã a Monchique. O objetivo é “esclarecer e capacitar” a população sobre como responder adequadamente a eventuais situações de catástrofe. Estes ensinamentos são ‘gratuitos’ e podem ajudar a salvar vidas

Monchique foi assolado por grandes incêndios em 2003, 2004 e 2016. A tragédia dos incêndios no ano passado veio reavivar as memórias e os receios da população

O concelho de Monchique atinge frequentemente, nos meses mais quentes do ano, o risco ‘máximo’ de incêndio. O cálculo é feito pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), com base nos valores observados às 13h00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Na memória da população local, que está muito envelhecida, ainda estão os devastadores incêndios de 2003, 2004 e 2016, que ameaçaram muitas vidas e destruíram milhares de hectares de floresta no concelho. Só em 2003, arderam mais de 32 mil hectares do território de Monchique, o equivalente a 32 mil campos de futebol. Ou seja, esta é uma tragédia que a população quer evitar a todo o custo…!

É neste contexto que o município serrano vai acolher o seminário “Previsão, Prevenção e Atuação em Situações de Catástrofe”, que vai ter lugar, na próxima sexta-feira (22), entre as 9h30 e 13h00, no auditório da Caixa Agrícola de Monchique. O evento é dirigido a toda a população e a entrada é livre…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 21 DE JUNHO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

You must be logged in to post a comment Login