Lagoa recolhe propostas dos munícipes durante o mês de março

Autarquia promete concretizar projetos mais votados

As bicicletas públicas de Ferragudo, Carvoeiro e Senhora da Rocha foram um dos projetos vencedores do orçamento participativo de Lagoa

A edição de 2018 do orçamento participativo de Lagoa arranca no próximo dia 5 de março. As sessões públicas destinadas à recolha de propostas da população vão passar pela vila do Parchal (antiga junta de freguesia – 5 de março), vila de Estômbar (junta de freguesia – 7 de março), cidade de Lagoa (junta de freguesia – 12 de março), vila de Carvoeiro (Sociedade Recreativa – 14 de março), vila de Porches (Centro Cultural D. Dinis – 19 de março) e, finalmente, pela vila de Ferragudo (Casa do Real Compromisso Marítimo – 21 de março).

Estas sessões públicas têm por objetivo promover a recolha de propostas de investimento junto dos munícipes do concelho de Lagoa, tendo a autarquia liderada por Francisco Martins definido para o efeito uma verba de 300 mil euros.

“Desde a primeira edição (2014), a Câmara Municipal de Lagoa em sede de orçamento dotou com 300 mil euros a verba para o orçamento participativo, o que em termos percentuais chegou a ser um dos maiores do país”, sublinha a autarquia, apelando à participação das pessoas neste orçamento participativo municipal.

“Na apresentação pública de algumas das propostas e devido à sua pertinência, Lagoa foi ainda mais além, reforçando a dotação inicial para que nenhuma proposta ficasse de fora, por falta de dotação orçamental”, adianta a câmara.

“O futuro resulta daquilo que no presente se projeta”

Ainda de acordo com a autarquia de Lagoa, “até à data já foram entregues à população todas as obras concluídas”, que englobam três parques geriátricos, uma ciclovia, uma parede de escalada, o abastecimento de água ao sítio da Canada, melhoria das acessibilidades na vila de Estômbar, o projeto de mobilidade sustentável (bicicletas) localizado em Ferragudo, Carvoeiro e Senhora da Rocha.

Em 2018, a Câmara de Lagoa dirige um apelo a todos os munícipes que nunca participaram, para que “participem, opinem, debatam o que queremos para o território que nos é comum, pois o futuro resulta daquilo que no presente se projeta”.

Para facilitar o acesso dos interessados ao processo, na fase da apresentação de propostas, em reuniões públicas, a Câmara Municipal de Lagoa efetua as seis assembleias participativas já referidas, todas com início às 20h30.

Depois destas sessões públicas, o orçamento participativo prossegue com a votação pública das propostas que foram selecionadas nos encontros participativos. Ou seja, as propostas mais votadas serão submetidas ao escrutínio dos munícipes que, assim, têm a oportunidade de as votar – desde que tenham mais de 18 anos e apresentem a identificação – nos edifícios das uniões e juntas de freguesia. As obras entrarão depois em execução no próximo ano.

(NOTÍCIA PUBLICADA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 22 DE FEVEREIRO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

You must be logged in to post a comment Login