Investigadores algarvios procuram os “antibióticos do futuro”

.

Novos antibióticos precisam urgentemente de ser desenvolvidos para combater as bactérias resistentes, uma vez que os antibióticos convencionais tornam-se, cada vez mais, ineficientes.

Nesse sentido, o grupo de investigação de Aureliano Alves, professor de Bioquímica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve (UAlg) e investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), em colaboração com um grupo de investigação do Instituto de Biofísica da Universidade de Viena (Áustria), analisaram criticamente as propriedades antibacterianas de todos os polioxometalatos (POMs) conhecidos, com o objetivo de estudar a sua aplicação como agentes antimicrobianos.

Esta investigação foi escolhida para capa da revista Chemical Communications, uma revista de uma sociedade internacional muito conceituada, que conta com mais de 54 mil membros e reúne cientistas químicos de todo o mundo.

“Os POMs demonstraram exibir efeitos sinérgicos surpreendentes contra certas estirpes resistentes, quando usados em combinação com antibióticos convencionais, indicando a sua capacidade de superar o mecanismo de resistência das bactérias”, adiantam os investigadores, que verificaram, além disso, que “alguns POMs, especialmente híbridos baseados em POMs, são ativos por sua própria iniciativa contra as bactérias resistentes, tornando-se os candidatos perfeitos para o tratamento de doenças bacterianas conhecidas por causarem graves danos nas vidas humanas”.

Finalmente, os autores fornecem uma visão crítica revelando as vantagens e desvantagens dos POMs investigados, procurando aumentar a consciencialização dos cientistas quanto ao seu potencial significado no combate contra bactérias resistentes, sugerindo-se que estes POMs possam ser os “antibióticos do futuro”.

JA

You must be logged in to post a comment Login