Hora do Planeta motiva “apagão” em oito municípios algarvios

Luzes apagadas durante uma hora no próximo dia 24 de março

Créditos: EWS-WWF

Albufeira, Lagos, Portimão, Silves, Lagoa, Loulé, Faro e Olhão são os oito de 16 municípios algarvios que aderiram à “Hora do Planeta 2018”, um ato simbólico da organização global de conservação da natureza WWF – World Wildlife Foundation, que pretende alertar para a temática das alterações climáticas, convidando a população em geral bem como entidades, empresas, instituições, pessoas singulares, a desligarem as luzes de edifícios, moradias e monumentos durante uma hora, entre as 20h30 e as 21h30 deste sábado, dia 24 de março.

Em Albufeira, o município irá desligar durante esta hora as luzes dos principais edifícios e equipamentos culturais do concelho, voltando a associar-se ao maior movimento mundial de consciencialização para as alterações climáticas. Entre os edifícios que vão ficar às escuras estão o edifício dos paços do concelho, a biblioteca municipal Lídia Jorge, a galeria municipal João Bailote, a igreja matriz e a igreja de Sant`Ana.

Ao mesmo tempo, a autarquia convida a população a associar-se à iniciativa, desligando a iluminação nas suas residências.

Em Lagoa, a autarquia compromete-se nesta data a desligar as luzes do edifício dos paços do concelho, do forte de Nossa Senhora da Encarnação, do passadiço de Carvoeiro e do Centro de Congressos do Arade, entre outros locais de Estômbar, Lagoa, Sesmarias e Porches. Algumas unidades hoteleiras e juntas de freguesia do concelho também vão unir-se a esta iniciativa.

“Num ano em que Lagoa se assume como ‘cidade educadora’, este é apenas mais um gesto para fazer de cada cidadão uma chave para os grandes problemas ambientais com os quais o mundo global hoje se depara”, realça a autarquia.

Em Silves, durante a Hora do Planeta, serão desligadas as luzes interiores e exteriores dos paços do concelho, do castelo e da Sé de Silves.

Para além desta ação, o município compromete-se a, em 2018, adotar medidas adicionais, nomeadamente “a redução do consumo energético público, através de uma maior otimização da rede elétrica, a instalação de dois parques para bicicletas na cidade de Silves e a aquisição de veículos elétricos para deslocações curtas, entre outras”.

Uma hora às escuras para defender o ambiente

Já em Olhão, também vários edifícios municipais, como os paços do concelho, a biblioteca municipal José Mariano Gago e as piscinas municipais estarão às escuras.

Desta forma, o município pretende “criar uma noite temática, com o propósito de consciencializar a população para a necessidade de todos adotarem práticas de defesa do ambiente”. Na véspera, dia 23, as crianças da escola Largo da Feira associam-se à iniciativa, e promovem um desfile para alertar e incentivar a população a aderir mais uma vez a esta ação.

Por seu lado, o município de Loulé volta a associar-se à iniciativa Hora do Planeta apagando as luzes, durante 60 minutos, nos edifícios dos paços do concelho e da assembleia municipal, no monumento ao Engº Duarte Pacheco, no mercado municipal de Loulé, no Cine-Teatro Louletano, na muralha do castelo de Loulé, bem como nas juntas de freguesia.

Em Faro, o município compromete-se a desligar as luzes do edifício dos paços do concelho e em vários monumentos espalhados pela cidade. No âmbito da campanha, o município compromete-se, ainda, em 2018, a iniciar o procedimento de celebração de contrato de gestão de eficiência energética para implementação de medidas de eficiência energética na iluminação pública.

Os municípios apelam também a que os seus munícipes adiram a esta iniciativa, desligando as luzes de suas casas entre as 20h30 e as 21h30 deste sábado.

NC|JA

You must be logged in to post a comment Login