Produção de vinho algarvio deve atingir recorde em 2019

Previsões mantêm-se “otimistas” apesar da vaga de calor

O Algarve deverá chegar rapidamente nos próximos anos aos 2 milhões de litros produzidos por ano (Créditos fotográficos: Vico Ughetto/CVA – Quinta da Tôr)

Apesar da vaga de calor que provocou estragos e perdas significativas na produção de uva em várias regiões do país, os produtores algarvios estão a encarar a próxima vindima com “otimismo”. Depois de um salto na ordem dos 50% verificado no último ano, a produção de vinho no Algarve deverá atingir um novo recorde. “Num futuro próximo, a região poderá produzir mais de 2 milhões de litros por ano”, estima o presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve

 

No vinho, todos os anos são um recomeço. A poucos dias do início das vindimas, as previsões dos produtores algarvios apontam para que, apesar da vaga de calor registada no mês de agosto, a produção de vinho não será afetada e até deverá atingir um novo recorde, podendo ultrapassar os 1,7 milhões de litros.

Já na campanha anterior (2017/18), o Algarve registou um salto na produção na ordem dos 50%, sendo a região vitivinícola do país que mais cresceu em termos de percentagem do aumento da produção, atingindo os 1,6 milhões de litros. Refira-se que, em 2010, apenas entravam no mercado 500 mil litros.

Carlos Gracias realça que “a opção dos produtores tem sido a de produzir vinho de qualidade em detrimento da quantidade, numa clara aposta em produzir os chamados vinhos de quinta ou de autor” (Créditos fotográficos: Vico Ughetto/CVA)

“A vaga de calor registada no início de agosto causou estragos e perdas significativas na produção de uva em algumas regiões do país, mas não se sentiu de forma significativa na viticultura algarvia, mantendo-se a perspetiva de um novo aumento da produção, situação a confirmar-se com os trabalhos das vindimas para breve”, revela Carlos Gracias, presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA).

Em entrevista ao JORNAL DO ALGARVE, o responsável explica que a região algarvia acabou por ser pouco atingida pelo “escaldão”…

 

(REPORTAGEM COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 30 DE AGOSTO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

You must be logged in to post a comment Login