A odisseia de viajar de comboio no Algarve

A partir de 2021 tudo será diferente... esperam os passageiros

Uma viagem de comboio entre Lagos e Vila Real de Santo António demora mais de três horas… se tudo correr bem e sem atrasos! O percurso conta com mais de 30 estações e apeadeiros e os comboios circulam quase sempre num ritmo lento e vagaroso. A eletrificação da linha férrea, a partir de 2021, irá trazer “mais qualidade, mais rapidez e menos tempo de trajeto”

O JORNAL DO ALGARVE fez-se à Linha do Algarve para testemunhar o calvário de que se queixam muitos passageiros, numa viagem de mais de três horas, entre Lagos e Vila Real de Santo António. Muitos utentes passam por um verdadeiro martírio, já que todos os dias estão sujeitos a atrasos e até à incerteza de haver ou não comboio. A solução passa pela duplicação e eletrificação da linha férrea, uma promessa com mais de quatro décadas que todos esperam ver cumprida dentro de três anos

 

Comboios envelhecidos, falta de regularidade, degradação do material, poucos trabalhadores, supressões e atrasos diários. Esta é a realidade da Linha do Algarve, onde a prometida eletrificação da linha está feita apenas entre Faro e Tunes. Por outro lado, as ligações de Lagos a Tunes e de Faro a Vila Real de Santo António continuam degradadas e à espera de melhorias, causando muitos transtornos a quem precisa de viajar de comboio. Nestes ramais, apesar de a modernização da linha férrea ser considerada uma prioridade regional há mais de 40 anos, os comboios ainda têm de viajar a baixa velocidade. E só a partir de 2021 é que a região deverá poder contar com comboios mais rápidos e modernos, graças à pressão cada vez maior para a eletrificação de toda a Linha do Algarve.

Ainda assim, atualmente, há cada vez mais passageiros a optar por este meio de transporte na região. Em 2017, foram transportados mais de 1 milhão e novecentos mil passageiros na Linha do Algarve, aos quais se somam cerca de 870 mil utilizadores de comboios de longo curso, com origem ou destino nesta linha.

Circular na EN 125 é mais rápido que viajar de comboio

Para testemunhar as dificuldades e transtornos sentidos pelos passageiros, o JORNAL DO ALGARVE fez-se à linha, numa viagem que demorou três horas e quinze minutos, entre Lagos e Vila Real de Santo António. E disseram que tivemos sorte, pois “o mesmo trajeto pode chegar às quatro horas”, asseguram vários utentes!

Ao todo, passámos por 30 estações e apeadeiros, quase sempre num ritmo lento e vagaroso. Refira-se que o mesmo percurso de 140 quilómetros, feito de carro ou de autocarro, faz-se normalmente em menos de metade do tempo pela Via do Infante (1h27m, segundo os dados do GPS). Claro que, se optar pela estrada nacional 125, esse tempo poderá chegar às 2h38m, dependendo do trânsito, das obras e dos congestionamentos. Mesmo assim, em situações normais, circular na EN 125 é mais rápido que viajar de comboio…!

O comboio de baixa velocidade…

Os problemas da nossa viagem de Lagos a VRSA começaram ainda antes da partida. A cerca de dez minutos do início da viagem, havia uma fila de quarenta pessoas para comprar bilhetes na única bilheteira disponível…

 

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 2 DE AGOSTO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

You must be logged in to post a comment Login