Tornados são um fenómeno crescente no Algarve

.

A frequência do aparecimento de tornados na região algarvia está a aumentar. O último aconteceu no passado domingo, quando ventos entre os 117 e os 180 quilómetros por hora fizeram estragos entre Faro e Vila Real de Santo António. Este foi o segundo tornado na mesma semana e, pelo menos, o quinto registado nos últimos oito anos a provocar um rasto de destruição na região algarvia. O mais grave aconteceu em novembro de 2012, danificando centenas de habitações e provocando 13 feridos e um morto nos concelhos de Lagoa e Silves

 

NUNO COUTO

 

A ocorrência de vários fenómenos atmosféricos extremos nos últimos oito anos, no Algarve, é um indício para uma possível maior frequência, admite o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), reconhecendo que ainda será necessário fazer um levantamento mais exaustivo para se verificar essa realidade.

Mesmo assim, os meteorologistas já admitem um aumento da frequência do aparecimento de tornados, fenómenos que estão associados à humidade e massas de ar quente. Tudo porque estes fenómenos estão relacionados com o aquecimento global e, como o Algarve não é exceção, os especialistas consideram muito provável que venham a registar-se com maior frequência.

Estes ventos fortes, quando concentrados num único ponto – os chamados tornados –, podem provocar estragos avultados por onde passam, como aconteceu no último domingo, no sotavento algarvio.

Ventos entre os 117 e os 180 quilómetros por hora fizeram estragos nos concelhos de Faro, Olhão, Tavira, Castro Marim e Vila Real de Santo António, tendo o IPMA confirmado que a região voltou novamente a ser atingida por um tornado, o segundo na mesma semana.

“Tendo em consideração os relatos, incluindo imagens disponíveis, uma análise preliminar sugere ter-se tratado de um tornado, à semelhança do que aconteceu no passado dia 28 de fevereiro de 2018 (quarta-feira), também na região de Faro”, refere o IPMA…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 8 DE MARÇO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

You must be logged in to post a comment Login