SMS: Os Burgessos

OPINIÃO | CARLOS ALBINO

Esta é sem dúvida a pior espécie dos ilustres democratas que estoiram a democracia. Começam por estoirar algum grupo e amigos que por engano tenham integrado, estoiram depois com algum partido onde por engano se tenham inscrito, e algum conjunto de Burgessos acaba por estoirar com a democracia local, regional ou mesmo nacional, conforme se o Burgesso engana a freguesia, o concelho ou a região. Por enquanto, há todas as indicações de que um Burgesso nacional não pode enganar o país todo por muito tempo. Mas eles aí estão, por aí andam, os Burgessos. Podem ser técnicos que nunca leram um livro nem querem ler, como podem ser intelectuais que nunca apertaram um parafuso nem querem apertar, muito menos saber.

Burgesso é uma das tais palavras de que se desconhece a origem, ou não se referisse a burgessos. Apenas se supõe. Há dúvidas mas, de modo geral aceita-se que o burgesso vem do nome do nadador britânico Thomas William Burgess, que foi, em 1911, o segundo homem a fazer a travessia do Canal da Mancha a nado, depois de onze tentativas frustradas. Mas por que motivo o senhor Burgess resulta na palavra portuguesa burgesso? Dizem e, pelos vistos será verdade, que o senhor Burgess, já coberto de glória, não pelo conteúdo da cabecinha mas pelas braçadas na água, numa digressão pela Europa esteve no Porto. E aí, na margem do Douro, revelou o seu feitio enormemente antipático, pouca ou nenhuma educação, escassa inteligência. Em resumo – um estúido sorridente. Do Porto, o apelido do nadador transformou-se em qualificativo, Burgess deu Burgesso.

O certo é que a vida das palavras raramente ande longe da verdade. Um Burgesso é verdadeiramente um nadador sem nada na cabeça. E atravessa canais mesmo que depois de onze tentativas frustradas. Atravessa os canais dos partidos, do CDS o Bloco, mas, pelas estatísticas, com grande concentração no PSD e no PS. Um Burgesso nada que se farta desde que tenha por objectivo chegar ao outro lado o que nem sempre é coisa estúpida a não ser que o nadador seja deveras estúpido, ou seja, um Burgesso. Essa a ambição do Burgesso – apenas chegar ao outro lado. Por isso, raramente chega longe até porque um Burgesso genuíno jamais quer chegar longe. Basta-lhe o outro lado do canal. Por outras palavras, esse outro lado é quando muito um favor em alguma empresa municipal ou como salário de prestígio social, uma candidatura a vereador em lugar não elegível. Até porque, em política, a estupidez tem um preço e os Burgessos sabem isso – é onde bóiam e onde estoiram com tudo.

Bem hajam.

(Próximo episódio: Como prometido, Os Algarviotes)

Flagrante pavoneio: Há campanhas onde o director de campanha parece ser mais importante que o candidato a presidente

Carlos Albino

You must be logged in to post a comment Login