Sinalização da Ecovia Litoral tem de ser reforçada devido a roubos e vandalismo

A Ecovia (ciclovia) do Algarve Litoral estende-se ao longo de 214 quilómetros, entre Sagres e Vila Real de Santo António

Técnicos percorreram toda a Ecovia do Litoral, percurso para ciclistas que liga Sagres a Vila Real de Santo António, e identificaram várias necessidades. O périplo terminou com um encontro que reuniu, em Vila Real de Santo António, todas as autarquias envolvidas no projeto

.

Terminou na última semana, em Vila Real de Santo António (VRSA), a primeira travessia da Ecovia do Litoral levada a cabo por técnicos e responsáveis do projeto. O setor final, entre Tavira e VRSA, foi realizado por 40 pessoas.

O périplo teve início em fevereiro, no concelho de Vila do Bispo, e percorreu, ao longo de quatro meses, todo o trajeto desta rota ciclável que atravessa os 12 concelhos do Algarve, fazendo um diagnóstico do estado da via.

Depois de as primeiras horas da manhã terem sido utilizadas para percorrer os trilhos de Tavira, Castro Marim e VRSA, o Salão Nobre da autarquia vila-realense recebeu uma conferência destinada a fazer o levantamento dos pontos fortes e fracos de toda a travessia inspetiva.

Sinalização tem sido roubada e vandalizada

Ao logo do debate, representantes das 12 autarquias envolvidas no troço da Ecovia deixaram sugestões para aumentar a procura daquela infraestrutura e o conforto e a segurança dos utentes e salientaram a importância de realizar anualmente este tipo de diagnóstico.

No campo das prioridades, foi identificada a necessidade de requalificar a sinalização ao longo de toda a via, repondo o material (painéis, placas e marcos) que tem sido alvo de vandalismo ou roubo.

De acordo com o coordenador do projeto Ecovia, Jorge Coelho, a solução para as autarquias resolverem o problema de uma forma rápida e não onerosa pode passar pela “colocação de sinalética de baixo custo”, recorrendo a sistemas de marcação semelhantes aos utilizados nas rotas pedestres.

Também presente na conferência, o vice-presidente da Câmara Municipal de VRSA, José Carlos Barros, destacou a necessidade de repensar a sinalização dos troços urbanos da Ecovia (normalmente caracterizada por uma linha azul ou por pictogramas) e de a articular com outras redes cicláveis, “aumentando a sua densidade”.

“Em Vila Real de Santo António, como noutros concelhos, as bicicletas têm de ser vistas como parte integrante da estratégia de desenvolvimento económico e turístico das localidades. É aliás por esta razão que Ecovia deve ser entendida como um projeto em permanente construção”, nota o também responsável pela pasta do Ambiente.

No encerramento da sessão estiveram presentes representantes da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA), da Comunidade Intermunicipal do Algarve (Amal) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve que, em uníssono, apelaram para que o projeto da Ecovia, já com uma década, não seja travado pelos constrangimentos económicos das entidades públicas e privadas.

214 quilómetros, entre Sagres e VRSA

A Ecovia do Litoral percorre todo o litoral do Algarve, numa extensão de 214 quilómetros, desde o Cabo de S. Vicente (Sagres, concelho de Vila do Bispo), onde se localiza o quilómetro zero, até Vila Real de Santo António.

O desenvolvimento do projeto resulta de uma parceria entre a Comunidade Intermunicipal do Algarve (Amal), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve e o Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) – Parque Natural da Ria Formosa.

  • Lito

    Então e o Macário o que é que disse? Nada! o gajo ainda não mexeu uma palha, em Faro as ecovias/ciclovias são inexistentes