Oposição denuncia novo massacre que provocou mais de 200 mortos

.

Mais de 200 pessoas morreram ontem no ataque das forças governamentais sírias contra a aldeia de Treimsa, segundo indicou um chefe rebelde.

Sobreviventes relataram aos opositores que a aldeia foi alvo de ataques de helicópteros do Exército e tanques de guerra. Além disso, membros das milícias contratadas pelo presidente Bashar Al Assad teriam entrado em Tremseh abrindo fogo contra a população.

Em Hama, o Conselho da Liderança Revolucionária disse à agência de notícias Reuters que a maior parte dos mortos em Tremseh era constituída por civis e que as tropas do governo estariam a tentar retomar o local do comando dos rebeldes.

De acordo com as Nações Unidas, mais de 10 mil pessoas já morreram no país desde o início dos confrontos entre tropas do regime e os rebeldes, que pedem a renúncia de Assad, há pouco mais de um ano.