Ocupação turística: Mercado espanhol caiu 24,5 por cento

.

Britânicos e holandeses ajudaram a que a ocupação turística global registasse, apenas, uma ligeira quebra, mas as receitas voltaram a cair, desta vez 7,3 por cento

.

De acordo com os últimos dados revelados pela AHETA, a taxa de ocupação no Algarve foi de 78,5 por cento no mês de julho, ou seja, apenas menos 0,2 por cento do que no mesmo período de 2011. No entanto, as receitas mantiveram a tendência de descida verificada nos últimos meses e apresentaram uma quebra de 7,3 por cento face ao período homólogo.

A descida mais importante verificou-se no mercado espanhol, já que as unidades hoteleiras algarvias receberam no passado mês de julho menos 24,5 por cento de turistas espanhois do que em igual período de 2011. As principais subidas registaram-se no mercado britânico (+9,4%) e no holandês (+14,6%).

As maiores subidas na ocupação ocorreram nas zonas Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago (+5,4%), Portimão / Praia da Rocha (+4,8%) e Monte Gordo / VRSA (+4,7%). As zonas de Carvoeiro / Armação de Pêra e Albufeira apresentaram as maiores descidas, com quebras de 4,4 e 3,3 por cento, respetivamente.

Refira-se que a zona de Montegordo / VRSA registou a taxa de ocupação média mais elevada (82,7%), enquanto Faro / Olhão registou a mais baixa, com 62 por cento.

Por categorias, as maiores descidas registaram-se nos hotéis e aparthotéis de três estrelas (- 2,6%) e nos aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e de quatro estrelas (-0,6%). Os aldeamentos e apartamentos turísticos de três estrelas (+4,2%) e os hotéis e aparthotéis de cinco estrelas (+2,8%) foram as categorias que apresentaram as maiores subidas nas ocupações.

Os hotéis e aparthotéis de duas estrelas foram os que apresentaram a ocupação mais baixa (64,6%). Os aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e de quatro estrelas tiveram as ocupações mais elevadas (83,4%).