Igreja de Martim Longo recebe cine-concerto “Os Lobos”

.

O filme “Os Lobos”, de Rino Lupo, vai ser exibido este sábado (21h30), na Igreja de Martim Longo, concelho de Alcoutim, acompanhado ao piano por Nicholas McNair.

Trata-se de um dos eventos da iniciativa Video Lucem que resulta de uma parceria entre o Município de Alcoutim e o Cineclube de Faro, no âmbito da segunda edição do programa “365 Algarve”.

O programa cultural “365 Algarve” é uma iniciativa das secretarias de Estado da Cultura e do Turismo, com financiamento do Turismo de Portugal e execução da Região de Turismo do Algarve.

Estas entidades uniram-se porque consideram fundamental desenvolver um programa cultural para a região algarvia de relevância turística internacional, envolvendo os agentes culturais e turísticos da região, a decorrer entre os meses de outubro a maio de cada ano, sendo um convite a percorrer toda a região, porque no sítio mais inesperado o residente e visitante vai deparar-se com uma exposição, um concerto, uma performance, um festival, uma fusão artística ou a possibilidade de degustar o melhor da nossa gastronomia ao som de uma guitarra ou de um acordeão.

A Igreja Matriz de Martim Longo tem por invocação Nossa Senhora da Conceição, remonta ao séc. XVI e da sua construção primitiva destacam-se os portais manuelinos, sendo atualmente uma das mais antigas erguidas no concelho.

Rino Lupo foi um dos mais interessantes realizadores estrangeiros ativos em Portugal na década de 1920 e teve um lugar fundador na história do cinema mudo português. Segundo João Bénard da Costa, “Os Lobos” constitui “uma obra ‘flamejante’, como se diz do gótico final, situada entre o hiper-realismo e o surrealismo, no vértice de uma estética do insólito que raras vezes, no nosso imaginário, terá tido tanta força e tanta singularidade.”

O filme tem o acompanhamento ao piano pelo artista especializado em música para cinema mudo Nicholas McNair, que no caso interpreta a partitura original, recuperada, de António Tomás de Lima, composta em 1925 para esta mesma obra poderosa, inesperada e marcante.