Falta de segurança na estrada nacional 125

Mortes e acidentes aumentam com requalificação em curso

Depois de vários meses paradas, as obras na EN 125 recomeçaram em vários troços, mas os condutores queixam-se de grandes problemas de segurança

Já em contagem decrescente para o início do verão, as obras de requalificação da estrada nacional 125 continuam a gerar o caos no trânsito em várias zonas da região. Depois de um ano “negro” nas estradas algarvias, as estatísticas confirmam que o número de mortes e acidentes no Algarve continua a aumentar perigosamente nos primeiros meses de 2017

Alcatrão esventrado, piso desnivelado, buracos que parecem “crateras”, pinos a separar faixas de rodagem, falta de bermas, homens e máquinas a trabalhar no meio da estrada…! As (atrasadas) obras de requalificação em curso na estrada nacional 125 estão a provocar o caos no trânsito em vários locais do Algarve, sobretudo entre Lagos e Almancil.

Apesar do aviso público feito pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, de que a requalificação da via mais movimentada da região – nos cerca de 100 quilómetros que ligam Vila do Bispo a Olhão – estaria concluída “até ao próximo verão”, muitos automobilistas são apanhados desprevenidos pelas obras, com a agravante de não existirem alternativas em muitos troços.

Entre Lagos e Portimão, por exemplo, os condutores queixam-se que a intervenção para repavimentar a estrada, que continua com pinos a separar as faixas de rodagem, “está a provocar grandes problemas de segurança”. As obras neste troço estiveram paradas vários meses, mas foram entretanto retomadas há poucas semanas, tendo em vista a sua conclusão, que está marcada para o próximo dia 30 de junho. O mesmo acontece noutros troços da EN 125, onde os automobilistas protestam que “são mais os buracos do que o alcatrão”…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 20 DE ABRIL)

Nuno Couto | Jornal do Algarve