Egito decide pela transição pacífica e vai avançar com reformas

Participantes do diálogo entre o governo egípcio e vários grupos da oposição, entre eles a Irmandade Muçulmana, decidiram este domingo formar um comité encarregado de realizar reformas constitucionais, antes da primeira semana de março.

As conversações, com representantes da oposição e personalidades independentes, haviam sido convocadas pelo vice-presidente egípcio Omar Suleiman. A Irmandade Muçulmana participa das discussões, assim como alguns grupos que estiveram presentes nas manifestações realizadas desde 25 de janeiro para exigir a renúncia de Hosni Mubarak.

O chefe de Estado, de 82 anos, já anunciou que não se apresentará a um novo mandato nas eleições de setembro, mas não parece ter a intenção de se demitir.