De Aljezur a VRSA são quase seis horas de viagem…!

Alguns percursos de autocarro e comboio dentro da região algarvia podem ser um pesadelo. Tempos de espera, transbordos e tarifários complicam o que devia ser fácil. Aqui ficam alguns “maus” exemplos

Quem não tem viatura própria no Algarve vive obrigado a correrias e percursos insanos para chegar a tempo e horas

Horários desajustados, transbordos incompatíveis e preços demasiado altos são as queixas mais frequentes dos utentes dos transportes públicos no Algarve, uma região onde só faz uso habitual dos autocarros e comboios quem não tem alternativa.

Para ir fazer um exame do coração a Faro, por exemplo, um habitante de Aljezur tem de fazer uma viagem cara, desconfortável e demorada, e mesmo assim não tem a certeza de chegar a horas. O primeiro autocarro da EVA Transportes a partir daquela localidade é às 6h58, mas até chegar ao destino os passageiros têm de fazer um transbordo de ligação em Lagos, onde o autocarro chega às 7h48, se não sofrer nenhum atraso. Para chegar a Faro, os passageiros têm depois de partir às 8h30 num outro autocarro, que tem chegada prevista à capital algarvia mais de duas horas depois, às 10h40. Ou seja, são quase quatro horas de viagem, mas multiplicadas por ida e volta, dão um resultado de qualquer coisa como um dia de trabalho…! E o passageiro tem de desembolsar 19,60 euros por estas viagens, um valor considerado muito exagerado pela maioria dos algarvios que não têm alternativa aos transportes públicos.

Em transporte ferroviário, a situação não é melhor, já que os habitantes do concelho de Aljezur terão de embarcar em Lagos pelas 11h14, estando a chegada prevista a Faro pelas 12h54. O preço deste trajeto só de ida é 7,30 euros (14,60 ida e volta).

Muitas horas passadas nos transportes públicos

Já um jovem que resida em Vila Real de Santo António e estude na Universidade do Algarve, em Faro, também enfrenta grandes dificuldades todos os dias para se deslocar entre os dois concelhos. Se optar pelo comboio, o percurso demora cerca de 1h05 e tem de pagar 5,20 euros, ou seja, perde mais de duas horas todos os dias nos transportes públicos e gasta 10,40 euros! Mas o caso ainda é mais grave se morar em Lagos e estudar na universidade, já que uma viagem só de ida demora quase duas horas e custa mais de seis euros!

Os passes mensais podem amenizar a situação, mas não muito, já que, o custo de um passe mensal para o percurso entre Lagos e Faro de autocarro é de 136,55 euros, enquanto de Vila Real de Santo António a Faro é ligeiramente mais baixo, estando fixado nos 128,65 euros. O custo dos passes dos comboios andam pelos mesmos valores.

Agora, imagine uma pessoa que queira atravessar todo o Algarve de autocarro, de Aljezur a Vila Real de Santo António. Tem de partir de Aljezur às 6h58, fazer o transbordo em Lagos às 8h30, fazer um novo transbordo de ligação em Faro às 11h00 e só chegará a VRSA, na melhor das hipóteses, às 12h40, ou seja, 5h38 depois de ter partido de Aljezur. Se fizerem a viagem de ida e volta, os passageiros demoram mais de onze horas dentro de um autocarro e gastam 30,80 euros…!

(NOTÍCIA PUBLICADA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 6 DE JULHO)

Nuno Couto | Jornal do Algarve

  • António Rodrigues

    Os transportes públicos são essenciais no desenvolvimento de uma região. Urge a modernização do setor para que o reino dos Algarves se desenvolva e envolva a população desta região na sua modernização.

  • Antonieta Cruz

    O Algarve, quanto a mim, está muito mal servido de transportes públicos.