Assembleias “repudiam” estacionamento pago no Hospital de Portimão

.

A assembleia municipal de Portimão, mas também as assembleias de freguesia do Parchal e Ferragudo (Lagoa), estão contra o pagamento do estacionamento no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio. A maioria dos deputados municipais destas três localidades aprovaram uma moção para contestar a intenção da administração do hospital.

A assembleia municipal de Portimão aprovou recentemente uma moção apresentada pelos deputados municipais do Bloco de Esquerda, onde “repudia de forma inequívoca e está frontalmente contra o pagamento do estacionamento no Hospital de Portimão”, uma medida que a maioria dos deputados municipais (18 votaram a favor e apenas cinco do PSD votaram contra a moção) considera “injusta e fortemente penalizadora dos utentes do Serviço Nacional de Saúde que necessitam de se deslocar a este hospital”.

Recorde-se que a administração do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio abriu um concurso público com vista à concessão da exploração dos parques de estacionamento do Hospital de Portimão. Segundo a moção aprovada pela assembleia municipal, esta medida representa “a mercantilização do estacionamento nos espaços do Serviço Nacional de Saúde, que acaba por funcionar como fonte de financiamento para entidades públicas e privadas, à custa da doença e da urgência dos doentes”.

“Quando alguém se sente necessitado de cuidados médicos, dirige-se à instituição que lhe parece mais adequada pelos meios que tem ao seu dispor. Seja por contingências geográficas, horárias ou pessoais, o transporte utilizado é muitas vezes o automóvel. Não é aceitável que o Hospital do Barlavento, como instituição pública de saúde, se aproveite neste momento da fragilidade das pessoas, forçando-as a pagar o estacionamento da viatura que as transportou até ao hospital, sendo muitas vezes esta a única forma de transporte de que dispõem”, lê-se no documento a que o JA teve acesso.

A moção refere ainda que o pagamento do estacionamento será “mais uma taxa acrescida”, para além das taxas moderadoras de saúde que já são “bastante elevadas”. “Por outro lado, os utentes, de um modo geral, esperam diversas horas para serem atendidos, agravando-se assim a taxa de estacionamento”, conclui o documento.

Parchal e Ferragudo juntam-se ao protesto

Para além de Portimão, as assembleias de freguesia do Parchal e Ferragudo (concelho de Lagoa), também aprovaram recentemente as moções apresentadas pelo Bloco de Esquerda contra o estacionamento pago no Hospital do Barlavento, em Portimão.

Os autarcas destas freguesias repudiam a introdução de estacionamento pago nesta unidade de saúde, apresentando os mesmos argumentos dos deputados municipais portimonenses.

Anunciada à cerca de um mês pela administração do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, a introdução de taxas no uso do estacionamento desta unidade de saúde levou imediatamente à contestação por parte dos utentes, dando inclusive origem a uma concentração-protesto frente ao hospital.

“Os utentes consideram que esta nova taxa trará um aumento significativo nos preço do serviço de cuidados de saúde, e que, no fundo é um aproveitamento da fragilidade dos cidadãos, os quais, num momento de doença são obrigados a recorrer aos cuidados médicos e, veem-se forçados a pagar o estacionamento da viatura que os transportou até ao hospital”, afirma Jorge Ramos, autarca e membro da concelhia de Lagoa do BE, acrescentando que “a espera prolongada no atendimento de um doente, combinada com o preço do parque de estacionamento, fará, inevitavelmente, a sua fatura final aumentar substancialmente”.