Arquivado inquérito da morte de indivíduo que assaltava moradia

.
Ministério Público considerou que os moradores atuaram em legítima defesa. Caso aconteceu há quase dois anos na zona de Vilamoura

.

O Ministério Público (MP) da secção de Loulé do DIAP de Faro acaba de anunciar que arquivou o inquérito pela morte de um individuo ocorrida durante um assalto a uma moradia situada em Vilamoura, área de Loulé, no passado dia 20 de setembro de 2015.

O MP considerou agora que os elementos recolhidos durante a investigação levaram à conclusão de a morte ter sido causada através de asfixia por dois moradores da casa, pai e filho, de nacionalidade britânica, mas que “ambos atuaram em legítima defesa”. Concluiu, também, que “ainda que tenha havido excesso de meios, ele resultou de perturbação ou medo não censuráveis”.

Os indícios recolhidos apontam para que o individuo tenha entrado de madrugada na moradia com o propósito de a assaltar. Naquele momento estavam a dormir um casal e um filho que acordaram com o barulho. Quando foi surpreendido, primeiro pela dona da casa e depois pelo pai e pelo filho que acorreram aos gritos da mulher, o individuo “agrediu-os” e “não parou de o tentar fazer mesmo depois de agarrado por ambos”, explica o MP. Pai e filho imobilizaram-no e prenderem-no pelo pescoço até à chegada da GNR.

A investigação foi levada a cabo pela Polícia Judiciária do Departamento de Investigação Criminal do Sul. Entretanto, a assistente requereu a abertura de instrução, pelo que o processo será oportunamente apresentando ao juiz de instrução de Loulé.

You must be logged in to post a comment Login